Ícone Sistema de Gestão Ícone Carrinho de Compras Ícone Carrinho de compras de Atacarejo Ícone CISSAppetito CARDS Ícone Lançamento (Ribbon)

5 formas de economizar com entregas de mercadorias

Definir as melhores rotas para o envio de mercadorias às filiais não é uma tarefa fácil. É preciso tomar alguns cuidados para evitar custos elevados, o que pode prejudicar a rentabilidade. Outro risco é ter um processo pouco azeitado, que leve a rupturas em lojas ou necessidade de estoque maior, prejudicando o capital de giro. 

Veja a seguir o que pode ser feito para ter um bom roteiro, segundo especialistas em logística e varejo:

  • 1. DEFINIR O MELHOR TIPO DE ROTA

    É preciso definir o tipo de rota mais indicado para sua empresa. Um dos modelos consiste em iniciar a distribuição pela loja mais próxima do CD e finalizar com a mais distante. Esse tipo de roteiro é mais indicado para locais com restrições de circulação. O outro tipo é justamente o inverso. As entregas começam pela filial que fica mais perto, terminando com a mais longe. Esse formato pode permitir que o veículo transite no contra-fluxo durante boa parte do percurso de volta, otimizando o processo.

  • 2. ACOMPANHE AS MUDANÇAS NAS CONDIÇÕES DE TRÁFEGO

    Outra recomendação é contar com um profissional para acompanhar as mudanças nas condições de tráfego, interdição de ruas, obras, entre outros. A ideia é estudar o tempo de deslocamento, a produtividade dos caminhões e os custos de combustível e de manutenção. Dessa avaliação podem resultar mudanças nas rotas e nas ordens de entrega de mercadorias.

  • 3. CONTE COM O APOIO DA TECNOLOGIA

    Contar com apoio de soluções para o setor de distribuição também melhora a produtividade. Os softwares costumam permitir a visualização das entregas, saber se o tempo estimado está sendo cumprido, entre outros aspectos.

  • 4. OTIMIZE OS ROTEIROS DE ABASTECIMENTO

    Análise constante de dados é essencial para otimizar os roteiros de abastecimento. O objetivo é identificar sempre o menor percurso ou as especificidades de cada área. Por exemplo: em locais críticos de tráfego, o ideal é o caminhão circular em horários alternativos para evitar que produtos estraguem e economizar combustível.

  • 5. ATENÇÃO! NEM TODA ECONOMIA É VÁLIDA

    Deve-se ficar atento ao fato de que nem toda economia é válida. É possível que alguma rota aparentemente mais curta apresente condições ruins, como estradas esburacadas. Isso pode levar a aumento de despesas no longo prazo com, por exemplo, manutenção. Há ainda outros riscos, como acabar optando por um caminho em que existe maior incidência de roubos.

Fonte: sm.com.br

Atualizado EM: quarta, 20.Set.2017

ARTIGOS RECOMENDADOS