Logotipo Universidade Flecha pra baixo - Ícone line Instagram da CISS Youtube da CISS
Atualizado em

quinta, 27.Set.2018

Vendas no varejo de material de construção crescem 5% em agosto e 7,5% nos últimos 12 meses

Cadastro realizado. Desfrute dos nossos melhores conteúdos.
Receba novidades por email
{{ errors.newsletter_email[0] }}
imagem_loja_materiais

Em agosto deste ano, o varejo de material de construção cresceu 5% em relação ao mês anterior. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o segmento apresentou alta de 4%. No total do ano, o ramo mostra crescimento de 5,5% em relação ao ano de 2017, e os últimos 12 meses registraram alta de 7,5%.
Todas as informações são da Anamaco, que realizou a Pesquisa de Tracking mensal com 530 lojistas, no período de 24 a 29 de agosto. De acordo com os dados levantados, os comércios de médio e grande porte registraram uma variação positiva (de 10% e 12% no mês, respectivamente).

Por outro lado, entre os micro e pequenos estabelecimentos, o crescimento nesse mesmo período foi menor, cerca de 2%, ainda que, segundo a Anamaco, os números gerais indicam uma retomada no movimento de obras e reformas. Mesmo com o aumento do frete (que implicou negativamente nas compras de materiais mais básicos e revestimentos cerâmicos) e com a alta do dólar (que afetou produtos que levam cobre em sua composição), a população voltou a comprar materiais de construção, principalmente em períodos de promoções.

As lojas que ainda contavam com estoques adquiridos sem os repasses, lançaram mão de técnicas para atrair mais clientes. Somado a isso, em época de eleições é esperado que as pessoas evitem adiar ainda mais suas obras, sendo que esse é um momento de decisão que pode impactar na economia como um todo.

Eleições presidenciais aquecem o setor

A incerteza que as eleições representam com relação ao futuro acaba sendo bom para o segmento, pois leva as pessoas a investirem em materiais de construção agora.

Já nos dados geográficos, o Sudeste apresentou o melhor desempenho do mês de agosto, com crescimento de 8%. As regiões Sul e Centro-Oeste tiveram crescimento de 7% cada e as regiões Norte e Nordeste contaram com aumento de 6% e 4%, respectivamente.
Com relação às categorias avaliadas, os revestimentos em cerâmica tiveram alta de 6% no mês, tintas cresceram 4% e telhas de fibrocimento 3%.

O "Bus Tracking", uma opção que permite "perguntas caronas" na pesquisa, mostrou que o crescimento no ramo aumentou também o otimismo dos empresários em relação às ações Governamentais dos próximos 12 meses (de 24% para 32%). Por outro lado, ainda predomina um certo receio por conta desse aquecimento nas vendas ser proveniente do período de expectativas pré-eleições.

De toda forma, a melhora das vendas, aliada ao maior otimismo dos lojistas, contribui positivamente para um aumento nas intenções de investimento no próximo 1 ano (de 33% para 36%). A intenção de contratar novos funcionários em breve também subiu de 15% para 18%.

Atualizado em: quinta, 27.Set.2018