Logotipo Universidade Flecha pra baixo - Ícone line
Atualizado em

terça, 16.Ago.2016

Porque a NFC-e vai ajudar a reduzir as despesas na sua loja

Casal em compras com nfc-e

A mais de dois anos a Nota Fiscal Consumidor Eletrônico (NFC-e) iniciou a vigência em alguns estados brasileiros e veio se estendendo por quase todo o Brasil, possibilitando maior fiscalização da Sefaz nas empresas, mesmo a distância como já ocorre com a Nota Fiscal Eletrônica ( NF-e).

A NFC-e agradou muito o comércio varejista por gerar redução de custos e burocracia comparada ao ECF entre outros vários benefícios.
  • Icone
    O que é a NFC-e?

    A NFC-e veio com intenção de substituir o conhecido Emissor de Cupom Fiscal (ECF) no varejo, para que o governo tenha controle em tempo real dos produtos vendidos ao consumidor final, como hoje já ocorre com a NF-e.

  • Icone
    O custo

    As impressoras não fiscais utilizadas para emissão de Danfe custam entre R$ 450,00 a R$ 800,00 por unidade, enquanto impressoras térmicas fiscais utilizadas para emissão de EFC custam aproximadamente R$ 2.200,00 a unidade, por isso a NFC-e tornou-se muito viável para aumentar os pontos.

O que melhorou para os supermercados e materiais de construção?
  • SetaFlexibilidade para expandir pontos de venda em períodos de grandes movimentos.
  • SetaDispensa do alto custo de aquisição do equipamento ECF.
  • SetaSem necessidade de Intervenção Técnica.
  • SetaRedução de custo operacional.
  • SetaConsulta da NFC-e por QRCODE direto no celular.
  • SetaAgilidade na venda para o cliente consumidor final.
  • SetaGanho de espaço, já que todos os documentos emitidos podem ser armazenados.
  • Icone
    O estado da sua empresa já aderiu?

    Até o momento apenas os estados de Santa Catarina, Espirito Santo e Ceará não fizeram a adesão. O estado do Ceará está pensando numa solução própria como o SAT (desenvolvido pelo estado de São Paulo). Os outros dois estados até o momento não manifestaram interesse em deixar de utilizar a ECF para as frentes de caixa.

  • Icone
    E para o consumidor final, o que mudou?

    Possibilidade de consultar a NFC-e através do portal Secretaria de Fazenda e a segurança quanto à validade da venda comercial realizada, já que nas vendas presenciais o cliente tem a possibilidade de escolha se quer informar o seus dados na NFC-e ou deixar simplesmente como consumidor final, como ocorre muitas vezes em compras realizadas no varejo.

Atualizado em: terça, 16.Ago.2016